10 Dicas para escrever melhor

10 DICAS PARA ESCREVER MELHOR

1 – LEIA BASTANTE – Já começaram bem não é mesmo? Porque são leitores. Quem ler mais escreve melhor, pois amplia o vocabulário. É bom também conhecer vários gêneros literários, ou seja, não ficar preso a somente um tipo de texto. Outra dica legal é separar as palavras novas que encontrar no texto. Caso não queiram interromper a leitura, é só escrevê-las e depois pesquisar o significado. A leitura pode ser prejudicada, caso não conheçam o sentido de algumas palavras. Então, acostumem-se: há autores que precisamos de um dicionário ao lado para entendermos a leitura;

 

2 – ESCREVA COM PALAVRAS SIMPLES – A língua é como uma roupa, isto é, devemos escolher qual usar de acordo com a ocasião. Mas, saibam que a simplicidade da escrita a torna compreensível em qualquer meio. Não é o falar rebuscado, com palavras difíceis que torna um texto bom. Bom texto é aquele que se faz entender. Por causa do excesso de rebuscamento muitos textos, principalmente os jurídicos, não são interpretados corretamente. Já ocorreu de réus serem libertos por falta de entendimento do texto. Acreditem fato verídico;

 

3 – ESCREVA SOBRE O QUE GOSTA – Escrever sobre o que gosta é escrever com prazer. Nesse caso as chances de acertar são bem maiores. Além de escrever sobre o que gostamos faz-se necessário termos conhecimento sobre o que dissertar. É importante pesquisar sobre o assunto a ser escrito, do contrário o texto tornar-se-á um “encher de linguiça”;

 

4 – SEJA CONCISO – Ser conciso é ser objetivo, em outras palavras: não ficar enrolando;

5 – CORRIJA O TEXTO – A correção nunca será suficiente, sempre que lemos um texto notamos que podemos melhorá-lo. Porém, não devemos ficar sempre procurando erros, mas é salutar ler pelo menos duas vezes e tentar melhorar o que escrevemos;

 

6 – CONHEÇA O PÚBLICO – Saber quem lerá o nosso texto é essencial. Conhecendo o público alvo saberemos que tipo de linguagem usar e sobre qual assunto dissertar;

 

7 – EVITEM GÍRIAS, ESTRANGEIRISMO E INTERNETÊS – Há textos que permitem certas gírias, caso o público alvo seja jovem, porém, as gírias devem ser usadas da menor maneira possível. Algumas palavras estrangeira já pertencem a nossa sintaxe, essas estão liberadas. Na internet usamos abreviações; mas, devemos ter o cuidado; e, não pensar que no mundo virtual poderemos escrever de qualquer maneira. Além, disso nos textos formais não devemos escrever usando o internetês;

 

8 – PEÇA UMA SEGUNDA OPINIÃO - O texto não é nosso, o texto é do outro, escrevemos para alguém. Leiam ou peçam para alguém ler o texto. Aceitem críticas construtivas;

 

9 – CUIDADO COM A COERÊNCIA – Um texto coerente é aquele que tem sentido. A compreensão do texto dependerá do conhecimento de mundo do leitor. Exemplo de um texto sem coerência: Lúcia amava muito Carlos, por isso casou-se com Pedro. A mesma informação poderá ser coerente, vejam: Lúcia amava Carlos; entretanto, casou-se com Pedro;

 

10 – ACREDITE EM VOCÊ!