EXTRAORDINÁRIO - R.J Palacio

27/04/2016, às 23:00 h.

Resenha de Extraordinário

 

Um livro extraordinário! Parece meio clichê designar um livro como extraordinário sendo que o título do livro é esse. Mas, tenho certeza que se você lê-lo, também o achará assim: extraordinário!

 

Título: Extraordinário

Autora: R.J Palacio

Editora: Intrínseca

Páginas: 318

Classificação da leitura:

 

 

 

 

Orelha do livro

August Pullman (Auggie) nasceu como síndrome genética cuja sequela é uma deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade ... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o 5º ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.

Como educadora, acredito que Extraordinário deveria estar em todas as escolas. Em algum segmento do ensino fundamental o aluno deveria ler esse livro, pois o bullying tem sido cada vez mais devastador nas escolas, infelizmente. Crianças podem sim ser cruéis e muitos vezes são.

Palacio nos mostra o quanto ruim é o bullying. E, vai além, porque o bullying, na maioria das vezes, vem acompanhado por desprezo e/ou xingamentos. Mas, existe aquele bullying que praticamos sem nada falar, com um simples olhar. Quantas vezes deparamo-nos com pessoas diferentes e olhamos de forma diferente. Por que não somos naturais? Nós também somos diferentes em algum aspecto. Eu sou diferente dos padrões de beleza (sou GG); e, já vi alguns olhares. Entrando no mundo do Auggie percebemos o quanto um olhar nosso pode ferir o outro.

“Se eu encontrasse uma lâmpada mágica e pudesse fazer um desejo, pediria para ter um rosto comum, em que ninguém nunca prestasse atenção. Pediria para poder andar na rua sem que as pessoas me vissem e fingissem olhar para o outro lado.” (Pág. 11)

Extraordinário nos faz refletir no que outro está sentindo. Nos encoraja a ter empatia e a ser gentil.

“Vamos criar uma nova regra de vida ... sempre tentar ser um pouco mais gentil que o necessário” (Pág. 302).

Uma sacada legal da autora foi a de dar voz a outros personagens, além do Auggie. O livro é em primeira pessoa. A maioria dos capítulos é narrado pelo garotinho de 10 anos, o August, que é chamado carinhosamente de Auggie. Mas, a autora nos deu de presente outros capítulos maravilhosos narrados por outros personagens da trama. E, eles contam o lado deles da situação, ou seja, vivem a mesma situação que o August ou que outro personagem; e, dizem como eles encararam a situação. Isso foi incrível de ler!

Temos o capítulo da Via, a irmã mais velha do Auggie. Ela ama o irmão; e, é extremamente carinhosa com ele. Mas, somente quando lemos o capítulo narrado por ela notamos o quão difícil é ser irmã de alguém que precisa de tanta atenção dos pais. Via nem conta os problemas aos pais, porque sabe que Auggie precisa mais deles.

Temos o capítulo narrado pela Summer. Ela foi amiga do Auggie desde o começo, quando sentaram-se juntos na hora do recreio. Todos os dias eles sentavam juntos. Summer não se importou com a aparência de Auggie.

Jack, amigo do Auggie também tem um capítulo dele. Muito legal conhecer o Jack melhor. Depois temos o capítulo do namorado da Via, o Justin. Confesso que esse capítulo me incomodou um pouco, porque ele foi escrito sem letras maiúscula. Imagina ler uma frase ser iniciada por uma letra minúscula: dá uma agonia! Não sei o porquê da autora ter feito isso, talvez pra indicar a forma desleixada do Justin escrever. Mas, como o capítulo é curtinho não atrapalhou o livro.

A Miranda, amiga da Via e do Auggie, também tem voz na estória, tem um capítulo narrado por ela. Nesse capítulo podemos ver como o amor de uma família faz falta na vida de uma criança, aliás, na vida de qualquer um.

A família do Auggie é maravilhosa! União e amor são palavras que definem aquela família. É muita fofura!!

O S.r Browne é um dos professores do Auggie, que em cada aula ensina um preceito aos alunos. Temos várias reflexões nessa parte da estória. Palacio usou alguns preceitos de pessoas famosas e outros dos próprios personagens. Genial!

Ela escreveu um livro só com preceitos. Eu acabei de comprá-lo e logo falarei dele aqui. E de um outro livro que não é continução de Extraordinário, mas é um complemento, estou falando de Auggie e eu; porém, essa história ficará para outra resenha.

Espero que tenham gostado da primeira resenha do blog; e, que leiam esse livro perfeito.

 

Bjs, Silmara