NO SEU OLHAR - Nicholas Sparks

05/08/2016 23:15

Resenha de No seu olhar

 

“Nicholas Sparks nos leva a uma montanha-russa de emoções, que vai de uma história de amor sensível e tocante à adrenalina de um thriller policial” – The Salt Lake Tribune

 

  Título: No seu olhar

  Autor: Nicholas Sparks

  Editora: Arqueiro

  Páginas: 417

  Classificação da leitura:

 

 

Sei que o Nicholas não é querido por alguns leitores, porque as histórias são consideradas clichês demais. Eu concordo que alguns livros são clichês; mas, apesar desse detalhe, eu gosto muito dos livros do Sparks. Ele constrói os personagens muito bem e a sua escrita é leve. Só não gosto quando ele mata o meu personagem favorito. Mesmo ficando chateada às vezes com o Nicholas, não tem jeito: quando ele escreve um novo livro eu quero lê-lo. Pode ser clichê, para mim não há problema nisso.

E para os leitores que reclamam da “mesmice sparkiana” o livro No seu olhar foge ao padrão do autor, aqui não temos um romance como o foco principal e o protagonista é peculiar, se tratando dos mocinhos construídos pelo Nicholas. Colin é um ex-badboy que trabalha como barman e luta MMA. Além do mais, ele usa roupas apertadas e tem muitas tatuagens.

Colin Hancock teve a infância e a juventude conturbadas, quando criança foi diagnosticado com TDAH. Os pais não souberam ou não conseguiram lidar com o jeito “diferente” do filho; e, Colin foi estudar em um colégio militar, no qual sofreu abusos. O que fez com que ele ao invés de regenerar-se, se revoltasse ainda mais. Colin se meteu em brigas e foi preso algumas vezes. Porém, chegou a um ponto de sua vida que desejou recomeçar. E, mesmo em condicional decidiu cursar faculdade de Pedagogia, o que parecia bastante antagônico tratando-se da vida que ele tivera até aquele momento.

 

“... recebeu uma última chance de mudar de vida. Inesperadamente deu certo. E agora estava ali, fazendo faculdade e planejando passar as próximas décadas numa sala de aula, esperando ser mentor de crianças, o que não faria nenhum sentindo para a maioria das pessoas.” (Pág. 18)

 

Maria também não é comum e foge aos estereótipos de mocinhas em histórias românticas. É advogada, tem seu próprio apartamento e uma independência financeira. Filha de imigrantes mexicanos ela tem todas as características latinas. A família de Maria é bem unida. Serena sua única irmã é sua melhor amiga. Maria morava em outra cidade, trabalhava auxiliando o promotor, porém, após uma jovem ser assassinada Maria sofreu várias ameaças. E, por este motivo resolveu retornar a cidade natal, Wilmington.

Colin decidiu recomeçar em Wilmington. O encontro entre eles chega a ser engraçado: o carro de Maria furou o pneu em meio a uma tempestade, e para piorar ela havia esquecido o celular no trabalho. Colin ao perceber que uma mulher estava sozinha tentando trocar um pneu parou e ofereceu ajuda. Mas, por ser lutador de MMA estava com o rosto muito machucado. Maria teve muito medo.

 

“Um homem com o rosto mutilado vinha na direção dela como alguém saído de um filme de terror barato. Ou da prisão, de onde ele tinha acabado de escapar, porque o cara era malhado demais para uma pessoa comum.” (Pág. 25)

 

Apesar do medo ela aceitou a ajuda. Quando chegou em casa e contou a irmã o que aconteceu Maria não imaginara que o rapaz que a ajudara era colega de classe de Serena. A irmã caçula a levou a um restaurante e ao chegar lá Maria foi surpreendida por reconhecer o barman.

O relacionamento entre Maria e Colin acontece muito rápido na narrativa. Talvez pelo fato de o foco principal do livro não ser o romance e sim o suspense, tenha feito com que o Nicholas escolhesse essa forma de escrever No seu olhar. Eu senti falta dos detalhes românticos sempre presentes nos livros dele. E, o amor entre Maria e Colin não me convenceu, achei muito superficial. Mesmo havendo diálogos românticos e trocas de “eu te amo” parecia tudo muito vazio.

Ainda no prólogo do livro percebemos que as ameaças sofridas por Maria não tinham sido extintas, pois no início da história um personagem misterioso está vigiando a imigrante e sua família; e, ele deixa bem claro que deseja vingança. Enquanto somos apresentados aos personagens e logo após o relacionamento entre Maria e Colin se construir ficamos esperando a qualquer momento o suspense começar.

Um buquê de rosas mortas é recebido por Maria e as ameaças começam. Colin tentará de tudo para ajudar a sua namorada, mas ele está limitado, pois há um policial sempre de plantão vigiando-lhe; e, qualquer deslize o fará voltar à prisão.

Mas, será que Colin conseguirá manter-se afastado mesmo após a polícia não proteger Maria? Só lendo vocês saberão.

O suspense é bacana; e, ficamos com aquele medinho que só os leitores do Nicholas entendem em vários pontos da leitura, principalmente próximo ao final.

Há personagens secundários bens construídos nessa trama. Ponto alto para os melhores amigos de Colin, Evan e Lilly. A amizade é extremante verdadeira. Os amigos se arriscarão para ajudá-lo a qualquer custo. Gostei dos diálogos entre os amigos e de todas as situações que envolveram os personagens, pois há um pouco de humor nos coadjuvantes.

 

Acredito que Nicholas tentou inovar ao escrever No seu olhar; e, ele já fez algo parecido em Um porto Seguro (este eu só vi o filme, ainda não li o livro, mas está na minha estante) e em O guardião. O guardião é um romance com uma pitada de suspense; e, é um dos meus livros preferidos do autor, apesar de fugir do estilo habitual o livro é perfeito. Mas, o mesmo não ocorre em No seu olhar, não digo que o livro seja ruim, pois livro ruim é um livro mal escrito e sem coerência. E não é isso que temos aqui; pois, o livro é fácil de ler, a leitura é fluida, os personagens são bem construídos; entretanto, faltou alguma coisa a mais, talvez um toque de emoção e sensibilidade.

Há alguns subtemas legais no livro, tais como: assédio no trabalho, TDAH, maus tratos. Isso foi bacana; e, poderia ter sido explorado um pouco mais.

 

Gostei do fato da Arqueiro ter mudado a capa do livro desta vez, porque a maioria das capas do Nicholas tem um casal se beijando; e, neste livro temos flores mortas. A capa tem muito a ver com a história.

 

Apesar de algumas ressalvas eu indico a leitura, tanto para quem não gosta de ler o Sparks, pois esse livro é bem diferente. E também, para quem, como eu, gosta de ler tudo que o Nicholas escreve, é bom conhecer esse outro lado dele também.